Pesquisa personalizada

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Celular nas aulas - fotolog fora do ar


Durante o tempo como professor no colégio de aplicação da UFMG (CP), fiz um registro regular das minhas aulas e de outros momentos da escola, com a participação dos alunos, utilizando principalmente câmeras de celular. Esse registro virou um fotolog, que foi prontamente retirado do ar a pedido da direção, em função da inexistência de autorização dos pais para exibir imagens das crianças. Ficou a promessa de que a escola faria formalmente esse pedido para que o material fosse disponibilizado no site do CP. Penso em publicar aqui no blog algumas fotos que, preservando a identidade das crianças, mostram como é possível aliar as tecnologia às aulas de Educação Física.

Abaixo segue a descrição do extinto álbum:

Durante os últimos meses fui professor substituto de Educação Física da Escola Fundamental do Centro Pedagógico da UFMG – CP/UFMG. Durante esse tempo, fotografei aulas com a câmera do meu celular. Também estimulei os alunos para que eles fizessem uso dos seus aparelhos eletrônicos em sintonia com as aulas, indo contra a posição de muitos professores de que celulares, câmeras, tocadores de música e afins devem ser negados, evitados, excluídos das salas de aula e da escola.

Minha desilusão com a escola (da qual falarei em outro momento, talvez em outro espaço) me fez ser drástico, repensar a vida, pedir demissão e buscar novos caminhos. Esse álbum é o registro de que essa decepção com o CP não condiz com a paixão que tenho pela Educação e, em especial, pela Educação Física. Nesse álbum, com essas pequenas capturas das aulas – alunos em movimento, sorrisos, fusão de linguagens e conhecimentos construídos e compartilhados – é que deixo meu protesto, meu pesar e minha esperança de que um dia essa escola seja um lugar de formação humana não melhor ou pior, mas diferente.

As fotos são propositalmente embaralhadas, misturam turmas, ciclos, diferentes aulas, como se fossemos surpreendidos pelas cenas ao andar pela escola.

4 comentários:

Renato disse...

Olá, Rogério. Este teu post me ficou na cabeça e agora incluí uma menção a ele no meu site.

Marcelo disse...

Você tá falando mal do lugar onde eu passei os melhores anos da minha vida? Do lugar onde conheci as pessoas mais importantes da minha vida? Do lugar onde pude dizer as coisas mais significativas (e duradouras) da minha vida?
O CP pode não ser a melhor escola do mundo - e ainda bem mesmo que não é, pois uma escola deve estar sempre em construção -, mas com certeza é um lugar de formação humana diferenciado. Estou até hoje na UFMG, sou membro da Congregação da minha faculdade, tenho quase todos os meus colegas do CP também perto de mim, na universidade, e serei eternamente grato ao Centro Pedagógico e a todos os professores que ali me deram as melhores coisas que tenho hoje.

Marcelo disse...

Dá uma lida nisso aí

1 http://www.ufmg.br/online/arquivos/009008.shtml

2 http://wwo.uai.com.br/UAI/html/sessao_2/2008/06/21/em_noticia_interna,id_sessao=2&id_noticia=68263/em_noticia_interna.shtml

3 http://santaluzianet.com/modules/news/article.php?storyid=1101&keywords=colegios



Obs.: tive pouquíssimas aulas com substitutos durante os anos em que fiquei no CP, e realmente gostaria de não tê-los. Os efetivos, a maioria com títulos de mestre e doutor, foram os realmente significativos para a minha educação.

Anônimo disse...

Fui aluna do CP. E posso dizer que foram poucos os professores subsitutos. Nós tivemos professores bons e capazes de nos transmitir conhecimento. O motivo da sua desilusão eu não sei pq, mas tenho certeza que não condiz com o que vive lá durante 8 anos de minha vida.
Tenho certeza que eu tenho muito mais a esclarecer do que você que deve ter passado no máximo dois anos.
Quando temos uma profissão, lutamos para melhorar aquilo que fazemos e não comentar de um trabalho mal sucedido.